Ezio de Libra

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ezio de Libra

Mensagem por Oxford de Sirene em 31/7/2010, 18:05

Dados Técnicos

Nome: Ezio
Apelido: Chrooler
Raça: Humano
Idade: 17 anos
Sexo: Masculino
Local de Nascimento: Itália
Local de Treinamento: EUA
Armadura: Cloth de libra

Personalidade

Ezio é extremamente calculista e frio. essa personalidade apesar de estranha é extremamente fiel a Atena obedecendo até as ordens mais banais dela. Por outro lado, não aceita ordens com clareza de mais ninguém a não ser da própria deusa. Por ser detentor das armas e da balança de libra é um guerreiro muito justo e não comete erros contra ninguém.

Aspectos Físicos:

Ezio é um homem de físico pequeno, mede apenas 1.72 centímetros, pesa pouco, apenas 58 quilos e tem um corpo sem linhas bem feitas ou coisas assim. Seus cabelos são lisos cortados curto e de coloração cor de areia e seus olhos são cor de mel, bem escuro puxado pro castanho, sua roupa sem a cloth é uma camiseta normal, de manga longa, e uma calça jeans preta, usa um tênis de marca barata e uma corrente no pescoço, essa corrente não tem nenhum desenho nela. Em sua mão direita, ele usa uma luva com a ponta dos dedos cortada de uma cor preta.
História

O renascer da Libra

Uma ótima época para se viver, de uma família tradicional alemã, a uma família tradicional Americana, todas eram iguais. Queriam crescer, ganhar poder, dominar suas terras e criar os seus herdeiros. Em 1994 a família Fratoni ganhava um novo membro, filho de Matieh Fratoni e Antonio Fratoni, nascia Ezio com um futuro promissor pela frente devido a grandiosa fortuna que sua família provinha. Seus primeiros meses de vida foram muito bem vividos, com cerca de quatro babás cuidando do bebê era quase impossível ver o garoto. Parentes vinham de todos os lados da Itália para vê-lo e quase não conseguiam devido a esse fato.Seu quarto era imenso e sua casa era maior ainda, um casarão gigante, com cerca de vinte quartos, tirando as salas e os salões de jogos. Antonio Fratoni, um herdeiro da família Fratoni, um homem com uma gigantesca fortuna criada por seu pai, Luca di Fratoni um engenheiro muito conhecido na Alemanha toda. Planejou uma viagem aos Estados Unidos para tirarem umas boas e longas férias, porém problemas familiares não permitiram que eles viajassem naquele exato momento, e tiveram de esperar mais alguns anos para isso. O tempo passou e Ezio crescia gradativamente, seis anos atrás ele era apenas um bebê, hoje já estava andando, falando e aprendendo a assumir os costumes dos pais dele.
Finalmente os imprevistos haviam sumido de suas vidas, os Fratoni podiam finalmente viajar para os EUA e tirarem aquelas bem merecidas férias. As empresas ficaram sob o controle de Martheu Fratoni, o filho mais velho do casal. A viagem aconteceria por um grande navio que os levaria para os Eua de forma rápida e segura. O navio era de luxo, claro, como se esperava dos Fratoni , tudo do bom e do melhor e com direito a um luxuoso quatro aonde os três dormiriam. A viagem de navio ia muito bem, a comida era agradável, uma típica culinária de vários lugares do mundo [México, Alemanha, Espanha...]e a família estava feliz e aproveitava tudo com muita alegria, aquelas eram as férias que os Fratoni mereciam e queriam e podiam pagar!
Após cerca de três semanas no navio, a viagem acabou, para a tristeza do pequeno garoto que sempre queria ficar mais um pouco, afinal, lá tinha tudo o que ele precisava, porém as férias ainda não tinham acabado. Atracaram na Califórnia e seguiam para um Hotel perto, no dia seguinte iriam viajar até Boston. Chegaram ao Hotel e alugaram dois quartos, um para o garoto e um para os pais.
A noite finalmente caiu. O céu estrelado era uma coisa muito linda mesmo, e Ezio olhava tudo de seu quarto por uma janela de madeira que tinha no mesmo. Após ficar observando as constelações e as estrelas por um bom tempo, porém ele apenas conseguia senti-las, não via nada.
Com os olhos fechados e quase que sem nenhum movimento, Ezio é acordado por sua mãe, que o balançava repetidamente, era hora de sair para outra viagem longa, porém desta vez em uma charrete. Levantou da cama como um mendigo, totalmente desarrumado e foi se banhar, após meia hora já descia do quarto com suas malas e a viagem já poderia ser completa. Já com cerca de duas horas de viagem, Ezio podia ver que havia um deserto imenso naquele local e que chegava até a assustar. E acabou adormecendo encostado no banco por sono, havia dormido muito tarde.
A viagem prosseguia conforme os planos dos Fratoni eram, porém um acontecimento podia mudar a vida de todos, três cavalos cercam a charrete que carregava a rica família, eram homens foragidos, fora-da-lei, pessoas más que não tinham coração nenhum, eles fazem o condutor parar matando-o, após dois avisos que não foram obedecidos. Pediram para que todos descessem da charrete, porém por uma obra do destino não chegaram a ver Ezio naquele momento.
Após amarrarem a mãe de Ezio e seu pai jogaram-nos no chão, eles estavam com suas bocas amarradas e de olhos vendados. Um dos homens, o mais baixo de todos, porém o mais carrancudo foi vasculhar a charrete e achou o menino dormindo, para acordá-lo com estilo, deu dois tiros para cima. Ezio acordou assustado e caiu da charrete que estava com a porta aberta e foi amarrado junto a uma das rodas, sem vendas nos olhos, porém com a boca amarrada, os homens pareciam que não iam fazer mal a ninguém, só roubaram tudo que tinha na charrete, porém antes de irem embora um dos bandidos se pega olhando para os dois adultos. - Hey hey, thomas, jack olhem isso... essa mulher é um achado, vejam que corpo ela tem!! ; os dois homens que já estavam montados em seus cavalos olharam para a mãe do garoto e concordaram acenando com a cabeça. Desceram de seus cavalos e tiraram um tipo de jo-ken-pó e decidiram quem iria primeiro, desvendou a mulher a desataram sua boca. sua mãe estava sendo estuprada pelos homens.
Seu pai não podia fazer nada, pois estava preso e vendado e ele muito menos. Um após um eles foram fazendo aquele ato banal e após terminarem [cerca de 1 hora depois] eles se vestiam novamente e jogavam a mãe do garoto nua na areia ao lado de seu pai. Foi quando o homem que parecia ser o líder cochichou perto dos ouvidos de seus comparsas e decidiram. Pararam na frente do pai de Ezio e começaram a enforcá-lo.
Após cerca de 2 minutos ele já não resmungava mais, apenas estava estirado, sua mãe ainda estava no chão imóvel. - Bom garoto, nós já nos divertimos com a sua gostosa mãe... E como nos divertimos... Já matamos o seu pai e agora vamos pensar no que fazer com você! Após claro matar essa vadia que nós brincamos apesar dela ser gostosa ela vai morrer uma pena, carga estragada! O homem então pega um tipo de revólver de seu cinto e dá três tiros nas costas de sua mãe, que inerte estava e inerte continua. Agora o destino do garoto estava nas mãos de deus. Chorando e pedindo ajuda para seu deus Ezio se vê numa situação muito complicada, ele agora só esperava a morte. Foi como um milagre, uma faca estava apontada para o garoto, ele estava trêmulo. O homem então decide brincar com Ezio, afinal, estavam no meio do nada ninguém poderia salva-lo. Começaram a retalhar o pobre garoto, o primeiro corte foi em sua bochecha que levou até seu queixo, muito profundo, o garoto chorava muito agora. Após fazerem mais alguns cortes por seu corpo um deles se aproxima dos outros. - Hey... vamos embora, esse garoto nunca vai nos achar além de idiota é burro... Deixe-o para os lobos e urubus comerem, vamos aproveitar essa dinheirama toda! . Os outros fazem um sinal negativo, porém logo aceitam e vão embora com seus cavalos,Ezio pode ver no Horizonte as sombras sumindo, e apenas a poeira dos cascos, os corpos de seus pais e seu meio de transporte, tudo acabado, tudo destruído, tudo morto.

- Um novo futuro aguarda

Ezio ficou chorando por mais algumas horas, a noite chegou, escura e fria como sempre. E o fedor dos corpos começou a deixá-lo enjoado. Ele acabou por desmaiar pelo cansaço e pelo mau cheiro que fazia o local. Em seus sonhos, ele via os seus pais se afastando dele e indo embora, enquanto via uma figura negra, longínqua se aproximando, porém ele não podia ver quem era, ''apenas um sonho'', ele pensava enquanto dormia e resmungava um pouco.
Quando acordou, ele não estava mais naquela cena de chacina, estava em uma praia estranha, ele correu e abriu a janela, lá ele pode ver um grande penhasco ao lado direito dele, e ao lado esquerdo muito embaixo ele podia ver um tipo de pântano. Correu para fora do quarto com a crença de achar seus pais lá vivos e sentados, esperando que aquilo que aconteceu fosse apenas um pesadelo passado, ele correu o mais rápido que pode, e viu-se numa casa com várias estátuas de Atena e troféus de caça, também havia várias outras esculturas estranhas. . Ele procurou por todos os cômodos da casa, porém a única coisa que achou foi ''Nada''. Sim, um nada, não tinha nada na casa.
Ele então saiu pela porta e seguiu para a praia, lá ele encontrou uma mulher, com uma altura mediana de 1.74, cabelos ruivos, um corpo bonito, muito bonito. Sim. Ela estava parada, meditando. Quase que flutuando em frente ao mar que era negro. Ela olhava para Ezio e sorria o garoto não entendia nada. - Hei... Moça, você viu meus pais?Ele a indagava, ainda achando que o que vira fora um sonho, pobre garoto. Ela então se levanta e vai caminhando para perto dele. Ela bota a mão sobre sua cabeça e começa a lhe falar. [color=gold - Calmo o que voc pensa que viu no foi um sonho foi realidade Seus pais realmente esto mortos Eu te achei no deserto enquanto caminhava color] A face de Ezio mais uma vez se fechou e ele começou a chorar novamente, a mulher tentando acalmá-lo começou também a ficar desesperada. E volta a falar com ele, enquanto estava aos berros nas areias da praia. [color=gold - Olha olha olha... eu achei em suas coisas livros de histórias mitológicas, quer ouvir algumas?? eu sei várias, mais tem de se acalmar por agora. [/color]. Ele então abre um meio sorriso e começa a pedir pela história que a mulher havia prometido para ele, e logo ela começa. [color=gold - A tempos atrs Atena era uma rainha que dominava quase o mundo todo ela era to forte que podia contra Poseidon Hades Ares Odin e todos os outros deuses do Olimpo ento ele juntou poderosos humanos e os deu armaduras muito poderosascolor]. O menino olha para ela e começa a indagar. - Tão poderosas quantas Zeus??. A mulher já estava ficando feliz, e continua. - Sim... elas tinham um poder destrutivo,para destruir o mal de Poseidon e trazer amor e paz para terra... Ezio já havia esquecido um pouco da morte de seus pais e estava muito interessado em ouvir mais coisas que aquela mulher tinha para lhe falar. - Mas então moça... os cavaleiros deviam ser mais fortes que esses escamas... não eram?
A mulher não responde a pergunta do garoto e termina. Você acredita em Atena?? você acredita no que eu lhe falei?? se você acreditar, pode morar comigo e eu lhe ensinarei tudo o que sei. Te ensinarei a servir a deusa que você tanto gosta, Atena... a deusa que você lê Histórias, ela existe! . O garoto olhava para a mulher, não crendo muito no que ela falava, afinal, os deuses existiam? o garoto abriu um sorriso no rosto. - Eu não tenho para onde ir... eu aceito!

- Aceitação desse novo mundo!

Estava selado, o destino do garoto Ezio agora estava nas mãos da mulher, que após o ''aceito'' revelou-se chamar 'Sophia' uma das amazonas de prata que serviam a Atena. O garoto porém era jovem e mais forte, começou seu treinamento rapidamente. O Básico que a mulher pode lhe ensinar fora sobre o Cosmo e como controlá-lo. A partir dai, mandava-o socar pilares de concreto para quebrá-los, chutar rochas duríssimas e também fazer o cosmos espalhar pelo seu corpo, essa rotina entediante e cansativa seguiu por durante alguns anos. E o tempo continuou a passar, as rotinhas iam evoluindo, Ezio ia crescendo, aprimorando suas técnicas, aprimorando seus conhecimentos. Já com 14 anos, ele conseguia quebrar pedras gigantescas com as mãos, estourar pilares com os pés, explodir pedras com seus cosmos. A partir desse momento, o real treinamento começava.
- Bem Ezio, já faz anos que eu lhe treino, agora está na hora de aumentar sua resistência, não posso dizer que não sofrerá, mais isso será para um bem maior.Você tem um grande cosmo . E Sophia entrou na cabana, agora a conhecida casa de Ezio e quando saiu, estava com uma espada nas mãos. - Defenda-se dos meus golpes com o que eu lhe ensinei!. Dizia a mulher, partindo para cima do garoto que tentava defender-se, porém a cada defesa que ele fazia, um novo corte era sentido e a cada novo corte, um pouco mais de sangue espalhava-se pelo local. Defendeu-se tanto quanto pode, porém não era páreo para uma amazona, ela atacava com uma velocidade impressionante. Ele não conseguiu desviar-se de todos os golpes que eram-lhe trocados e então acabou por receber um corte no peito, e caiu desmaiado por causa da dor.
Ao acordar, o garoto se vê numa cama, e a mulher estava sentada perto dele olhando-o. - Escute Ezio, eu sei que é difícil, porém você precisa se fortalecer! Vamos levante, vou ensinar você um truque que meu mestre me ensinou a muito tempo atrás.. A mulher saiu andando pela porta, Ezio ficou deitado por mais alguns minutos e logo depois tomou um fôlego e levantou-se a seguindo até o ponto do penhasco que tinha próximo dali, sentou-se do lado dela e começou a escutar. - Essa técnica... Eu aprendi a muito tempo atrás, sinta ali em baixo existe um rio gigante... Medite nesse ponto, se o rio subir você conseguirá controlar o poder mais forte que tiver, apenas faça, sem perguntas... Tente, pode demorar alguns dias, mais você irá conseguir, tente!. A mulher se levantou e foi embora, Ezio ficou meditando, e do lugar não saiu por vários dias, ele tentava entender o que ele precisava encontrar dentro de si mesmo para que o rio subisse e ele pudesse finalmente dominar o seu mais poderoso golpe.

- Um novo Nível

Três dias se passaram até que Ezio conseguiu fazer com que as margens do rio subissem, e naquele ponto, ele tentou controlar seu cosmo. E conseguiu, um criou um pequeno dragão na palma de sua mão. Agora ele estava preparado para enfrentar sua tutora? era o que ele pensava.
Voltou o caminho todo e ao chegar à praia, a mulher já o estava esperando. Desta vez ela não possuía arma nenhuma, apenas carregava em sua mão uma bola de água, parece que era o que esta iria usar contra o garoto. Ao correr desenfreada mente para cima da mulher, Ezio comete um erro e tenta socá-la várias vezes, a mulher apenas cria um escudo de água por volta de si mesma e a mesma parece estar com um tipo de pressão, essa pressão estoura, e antes que Ezio pudesse combatê-la novamente ele voa para baixo do penhasco e cai nas águas do rio, que vão direto ao pântano. Sophia vai até a beira para procurá-lo, afinal, ela precisava de alguém forte para servir sua deusa. Porém o garoto não estava mais sob as vistas dela, a mesma pensava que havia perdido a ultima esperança de treinamento dela. - Que Atena o proteja. . E virou-se de costas como se o destino do rapaz não estivesse mais em suas mãos. E foi para a cabana, aonde se sentou e começou uma meditação profunda.

O garoto desfalecido ia voando por aquelas águas escuras até que chegou a margem de um pântano, estava com várias escoriações pelo corpo e pela cabeça, pois havia batido em uma pedra por seu caminho no rio. O pântano era escuro, cheio de árvores, um lugar tenebroso, foi lá que Ezio conheceu o segundo pior dia de sua vida. Ele estava com uma perna quebrada e quase não conseguia se mover pelo local olhou para cima e não via o sol, estava noite. Os animais faziam seus sons, e olhos o observavam pela noite. Ezio começa uma viagem para voltar até a praia e terminar seu treinamento com sua mestra, andando pela escuridão, Ezio pisa em algo que parece ser um galho, porém não estrala e é mole, o garoto então antes que pudesse ver o que era sente dois dentes furando o seu pé, uma cobra venenosa acabou por mordê-lo.
Sem se importar com o menor dos problemas, Ezio apressa seu passo, afinal eram alguns dias até a volta ao topo e ele nunca havia estado no pântano antes. E foi assim que ele continuou andando pela noite, até o dia amanhecer. Quando o dia amanheceu, o rapaz começou a sentir tonturas fortes, dores no estômago e uma fadiga que nunca antes havia sentido, parece que o veneno começou a fazer efeito. Chegou a cair duas ou três vezes durante sua viagem. Dois dias haviam se passado e agora o garoto podia ver a escadaria que o levava devolva a superfície, até a praia onde ele morava e treinava. Já subindo as escadarias, Ezio sente um aperto na barriga e cai entre do terceiro lance, rolando e voltando até um patamar. Lá ele chega a pensar que vai morrer, afinal, ele estava envenenado e literalmente ''Moído''. '' - Atena... Não me abandone agora! Eu estou perto... perto de finalmente poder te proteger.... perto do meu destino... Eu peço só um pouco de força... '' Pensava o garoto, e ficou estirado nos degraus das escadarias durante algumas horas, foi quando uma força de vontade extrema tomou o corpo de Ezio e ele conseguiu se levantar subiu todo o lance da escada e acabou finalmente por sair daquele maldito pântano, lá, já na praia ele vê sua mestra o esperando.
E ajudou o rapaz a se recuperar, sua recuperação foi longa e dolorosa, afinal, sua perna e três costelas haviam se quebrado na íngreme descida ao pântano. Após quatro meses, Ezio estava recuperado e a mulher veio novamente falar com ele. [color=gold] - Escute Ezio, te darei alguns anos para treinar novas técnicas e aprender antigas, após isso lutaremos, e dessa vez não terei piedade, ou você é apto ou não é apto a servir Atena. O garoto a escuta e faz um sinal de sim com a cabeça, e no dia seguinte o mesmo começa a treinar suas técnicas para combatê-la.

- Meu longo caminho, o renascimento da libra!.

Após 4 longos anos, Ezio havia acabado seus treinamentos e voltava do pico mais alto para provar que podia se tornar um espectro. Ao chegar lá, a mulher estava vestida em uma armadura brilhante, olhando para ele. Os dois se preparariam para um combate. Encararam-se por alguns minutos e a mulher foi para cima de Ezio, dando vários golpes nele, alguns acertaram sua barriga, porém não surtiram muito efeito, ele estava mais resistente, obvio!
Em um dos golpes ele segurou o braço da mulher e contra-atacou com uma joelhada que acertou sua barriga, ela foi um pouco para trás sentindo o golpe, logo voltou a atacá-lo. Com alguma dificuldade Ezio esquivou de alguns golpes, outros acertaram seu rosto e ele foi obrigado a ir para trás um pouco, desta vez ele iria para cima dela e com toda sua força deu uma seqüência de golpes que acertaram a barriga da mulher, ela fora para trás. - Não tenho mais 20 anos Ezio, não posso lutar por tanto tempo. Vamos, dê-me o seu mais forte ataque e eu lhe darei o meu!
O homem então levanta seu braço. - Eu treinei isso por quatro anos, espero que seja o suficiente!. E uma grande energia de cosmo emanava de Ezio, e a mulher pode ver cem dragões atacando-a. Aos olhos da mulher ela via um dos um dos mais fortes Cavaleiros de Atena. O homem foi para cima da mesma e ela tentou usar um de seus golpes, porém tarde, Ezio a acertou muito antes de qualquer reação. Ao fim do golpe, Ezio estava caído no chão e a mulher também. Ela se levantou primeiro e o garoto ficou de joelhos. - Ezio, você aprendeu tudo o que tinha para aprender, seu treino terminou, você provou ser o que eu esperava que você fosse... Você me venceu, eu não tenho mais energia alguma para continuar. Você precisa seguir seu caminho agora, você encontrará sua armadura no pico mais alto da montanha, se você for realmente quem penso que seja, ela ira sair de lá, junto com você! Agora vá, você não tem tempo a perder. Dizia a mulher levantando-se com dificuldade e voltando para sua cabana. Ezio, feliz, esperou alguns minutos antes de subir a montanha, entrou o mais fundo possível, aonde ninguém esperava, lá estava, um tipo de urna brilhante, ele segurou-a por uma das alças e puxou-a com toda sua força para cima. Alguns segundos se passaram e Ezio e a urna estavam saindo da montanha. Ele então começou a rir sozinho, foi aonde ele usou seu cosmo para chamar sua armadura sagrada. A urna se abriu e uma forte explosão aconteceu, e quando a luz se apagou, Ezio estava vestido como o cavaleiro de ouro de libra e ele estaria assim terminando seu destino. Sem rumo, Ezio começa então vagar, com sua armadura nas costas, ele procura informações sobre o paradeiro do santuário, para se juntar a sua deusa e servi-la, até a morte.
Nível: 1
Experiência: 0/100

Golpes:

Celestial Dragon:
Descrição: Ezio canaliza seu cosmo para suas mãos. Esse cosmo toma uma coloração arroxeada, após isso acontecer, o cavaleiro pode ou não estender suas mãos para frente. O golpe sairá da mesma maneira. Dessa energia que está em suas mãos, um gigantesco dragão sairá para o céu. Esse dragão irá parar em frente ao inimigo e passará como uma torrente de energia por dentro do corpo do mesmo com uma velocidade incrivelmente grande, fazendo ferimentos internos e externos ao adversário. Esse dragão é quase indestrutível e após o golpe ira desaparecer por completo. Esse dragão de coloração roxa é também resistente a energia cósmica e o cavaleiro de libra pode concentrar mais cosmo nele, gerando mais danos.

Variação 1:
Descrição: Na variação deste golpe, Ezio faz com que o cosmo que está em suas mãos se separe. O único dragão agora sairá em frente ao inimigo. Porém, quando estiver se movimentando, irá se separar em vários dragões menores. Esses dragões iram fazer o mesmo dano que o dragão original. Porém não dão chances de escapatória uma vez que vão ocupar todo o espaço livre que se tinha para desviar do golpe. Esses dragões têm a mesma velocidade do original, porém seu dano é o mesmo, não sendo maior.

Demoniac Dragon’s:
Descrição: Esta técnica consiste no cavaleiro canalizar seu cosmo pelos braços e apontar para o chão. Vários dragões de cor verde irão sair se rastejando pelo mesmo e se dirigiram para perto do alvo. Quando chegarem próximos irá mordê-lo fazendo assim um tipo de prisão cósmica. Quanto mais força o inimigo fizer para se livrar dos dragões, mais forte eles irão mordê-lo e sua prisão será mais dolorida. Esses dragões são de cosmo, sendo assim dificilmente poderão se soltar do corpo do adversário. Esses dragões irão soltar o oponente se a vontade de Ezio deixar ou caso ele consiga de alguma forma destrocá-los, porém vale lembrar que eles são híbridos ao cosmo de Ezio.

Libra cosmo Defense:
Descrição: Essa defesa do cavaleiro de libra consiste em canalizar cosmo por seus escudos de libra. Esse cosmo sairá automaticamente em forma de dois gigantes escudos que defenderam o cavaleiro de ouro. Esses espessos escudos não deixam nenhuma visão do lado interior para quem estiver por fora. Ataques que forem batidos nele, por obra dos escudos de libra serão rebatidos ao oponente com uma força duas vezes mais poderosa. Essa barreira durará apenas um turno e após isso necessitará ser montada novamente. Essa barreira é hibrida e pode ser usada para se defender ou defender seus companheiros de batalha.

Habilidade:
Executor da justiça: Por ser o cavaleiro de libra, e detentor da balança da justiça. Ezio percebeu que poderia punir seus adversários que causassem males a humanidade e a sua deusa. Essa habilidade dá ao cavaleiro de ouro o poder de ver se o seu oponente é alguém bom ou alguém ruim. Caso o oponente seja alguém ruim, os ataques que o cavaleiro de libra fizer contra ele serão muito mais fortes do que contra qualquer pessoa. Fazendo com que seus ataques além de machucar o oponente com suas características ainda o queime pela chama da justiça. Essa habilidade só funcionará com quem comete crimes graves contra a justiça e a paz do mundo.


Status do Personagem
HP: 150
Stamina: 175
Cosmo: 175

Narração:

O norte, a terra gélida que servia de fortaleza e casa para os camponeses locais, um local de muita paz, comandado por um rei que não era soberano. Após a tomada de Hades no poder e a derrota dos seus soldados, os cavaleiros se perderam daquele reino por algum tempo, ao conseguir achar o reino novamente, os mesmos se dirigiam para o lugar o mais rápido que conseguiam, porém, o cavaleiro de ouro de libra foi o primeiro deles que chegaram ao local acompanhado por um pequeno grupo com três soldados, eles estavam em um pico de gelo, um pouco acima do palácio. Quando uma nevoa tomou o local homem parou e fez um sinal com a mão fechada dizendo logo em seguida – Esperem! . Parou movimentando seus olhos de um lado para o outro, os soldados olhavam uns para os outros não entendendo a situação, passados alguns instantes a neblina de gelo que cobria o palácio sumira, em outro sinal, chamou seus subordinados e continuaram sua caminhada para o palácio, sua missão não era simples, afinal, recuperar um artefato em um local aonde era o centro do mal, não era fácil. Movimentaram-se lentamente pelos campos gélidos ao sul do palácio, podiam ver ao longo da trilha que faziam vários destroços de casas destruídas e um cheiro pútrido tomava o ar de Hoganrd, o que havia acontecido com o lugar que uma vez já fora um centro de paz. ‘Meu deus, o que fizeram com esse lugar? Antes tomado pelo gelo e bonito do que isso... Tomado pelo caos e pelo gelo. Eu não entendo como pudemos... Como pudemos ser vencidos tão facilmente. Terminou seu pensamento cabisbaixo, enquanto sua mão estava fortemente apertada. Continuaram a caminhada por mais alguns metros até encontrarem a entrada secreta que apenas alguns guerreiros conheciam, ela daria alguns metros antes do artefato. Deu um pequeno chute na parede para que o gelo caísse e quando o mesmo caiu, passou a mão pela parede tateando alguma coisa, após isso deu mais um murro em um tijolo e um pequeno buraco se fez, parecia estar oco, deste buraco, entraram todos os guerreiros até o palácio, já estavam dentro.
Ao entrarem no palácio, as luzes que antes eram maioria no local já não mais existiam nada mais existia naquele lugar que agora era deserto, uma aura maligna impregnava o cheiro do lugar, aquele porão, geralmente era escuro, porém estariam ainda mais naquele momento, várias lembranças correram a cabeça do guerreiro deus, momentos bons que passou naquele lugar. – Vamos seguir em frente, o artefato não está muito longe daqui, vamos rápido . Os soldados fizeram um sinal de ‘sim’ com a cabeça e seguiram rapidamente para o local, andara por alguns metros, passando por salas escuras com uma arquitetura antiga, um dos homens escorregou em um tapete, porém logo se levantou e seguiu juntamente dos outros, uma luz era vista no final do túnel, quando saíram, lá estava o artefato, bem em sua frente. Ela brilhava e agora era hora, Ezio se aproximou dela, deixando um sorriso tolo preencher sua face, agora a guerra contra Hades podia ser vencida, ele mal acreditava. Porém, quando voltou a si, estava em frente ao artefato e havia se esquecido de seus homens, ao olhar para trás, todos eles estavam imobilizados por Espectro de Hades, os seus olhos arregalaram e um frio tomou sua espinha quando ele avistou o homem que os liderava, um verdadeiro soldado, talvez mais forte que ele. – Então eu vejo que os ratos de Athena já se aproximaram demasiadamente de nossa fortaleza, perder esse local, seria um incomodo muito grande ao mestre Hades. O cavaleiro de ouro apenas dá um passo para frente e olha ao redor, vendo seus homens presos. – Nossa fortaleza diz você... Esta fortaleza, pertence à homens livres, você não merece pisar neste solo, matá-lo aqui seria um crime grave, seu sangue impuro derramado neste solo seria um crime grave, a mim mesmo. Prepare-se Espectro, não irei deixá-lo sair livre daqui, já fugi demais nesta guerra, irei lutar com você agora. Apostando minha vida! Assim terminando sua frase confiantemente da vitória, não. Ele não estava confiante na vitória, ele estava intimidando o Espectro, afinal, alguns deles nunca haviam visto um cavaleiro de ouro. Prosseguindo, colocou-se em uma base de defesa esperando o ataque do Espectro, que logo veio à tona.
Movimentando-se como nunca tinha visto, o Espectro correu em direção ao cavaleiro, sem chances de defesa, quando ele se virou para trás viu uma grande mão pegando-lhe pelo pescoço, levantou Ezio por um braço e com o outro deu um soco em seu rosto, naquele momento ele sentia como se a mão atravessasse sua alma, seu elmo voou ao chão junto a algumas gotas de sangue, que caiam do cavaleiro de ouro constantemente. Os homens que estavam a seu comando se espantaram, afinal, ele era um dos mais fortes servos de Athena. Sem derrubá-lo, o Espectro começa a rir dele enquanto passou a segurar o mesmo pela cabeça e socar sua barriga. A cada soco, o cavaleiro sentia-se mais pesado para uma reação, e sua vida estava indo para um caminho sem volta. ‘’Athena... eu... fal – falhei convosco, meu corpo, já não se meche mais... estou me sentindo... fraco, acho que não posso vencê-lo. ‘’ E enquanto terminava sua frase sentia sua cloth se quebrando, então, o homem o pegou e andando com ele segurado pela cabeça ia dizendo aos seus subordinados, que adoravam a situação. – Vejam só, isso é o que Athena tem para colocar em nossa frente. Háháhá. e terminou sua frase, jogando o guerreiro em uma parede que se quebrou em vários pedaços.
Totalmente acabado, com sua armadura destruído e sem energias para continuar, o cavaleiro de ouro se viu derrotado por uma das únicas vezes em sua vida. Passou alguns segundos e escutou o grito de um dos seus subordinados, abriu o olho com a força que lhe restou e percebia o homem sendo morto. Os outros seriam um a um assassinados logo mais, porém, antes de terminarem sua chacina, o cavaleiro se levantou. Seu cosmo queimava como nunca e apesar de estar a beira de sua destruição, ele ainda tinha forças pra lutar. – Me desculpem... Eu fui fraco... Mas agora não mais perderemos, perdoe-me Athena... E seu cosmo explodiu como nunca antes, num momento de fúria, onde o espectro estava paralisado de medo da força de vontade que um guerreiro de Athena tinha ele bradou seu mais forte golpe. – Celestial Dragon! E um gigantesco dragão explodiu no céu, visto muito longe, muito mais longe do que aquela terra gélida poderia imaginar. Sua mão estava estirada para frente, fora daquela mão que o golpe saia, não usou sua energia para explodir, pois mataria seus subordinados também. Quando a poeira abaixou o homem não mais estava de pé, e nenhuns de seus soldados estavam parados em frente dele. Em um momento critico de vida, sabendo que não sairiam com vida daquela fortaleza Ezio decide consigo que haveria mais chances de conseguir o que queriam e prosseguiu. – Desculpe-me Athena... Homens vamos sair daqui, sinto que soldados mais fortes que este estão se dirigindo para cá e não conseguiremos sair daqui com o artefato.. Pedindo desculpas a si mesmo e a Athena, eles deixavam o palácio por onde entravam e quando se encontravam longe o suficiente, Ezio caiu na neve, esgotado e desmaiado, havia apanhado muito e gastado muito de seu cosmo, porém, novos dias iriam surgir aonde a guerra contra Hades havia de acabar.

Oxford de Sirene
Coordenador
Coordenador

Masculino
Número de Mensagens : 128
Hobbies: : Variados
Humor Atual: :
Warning Level: :
0 / 1000 / 100


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum